Browsing Tag

autossabotagem

2 In Desenvolvimento Pessoal/ Lifestyle

Como eliminar a autossabotagem

autossabotagem

“Um dia você acorda e percebe que sua vida continua a mesma … você fez dieta o mês inteiro e quando estava conseguindo emagrecer volta a comer como antes. No começo só uma vez afinal que mal faz uma única vez, depois no outro final de semana e depois no outro e quando vê voltou ao peso anterior ou até mais … você termina um namoro por causa da personalidade de uma pessoa mas se pega brigando pelas mesmas coisas com seu namorado atual … você busca por uma mudança mas quando ela aparece você dá mil desculpas para não seguir adiante… porque não vai conseguir, porque falta alguma coisa, porque não está preparada… e aí vem a frustração de que nada que você deseja acontece, de que seus projetos nunca se concretizam e de que você nada, nada e sempre morre na praia…. “.

Falta de sorte ou autossabotagem ?

Se identificou com essa história ?

Muitas vezes queremos mudar situações, hábitos e até relacionamentos em nossas vidas. Sabemos que é preciso, queremos e até tentamos, mas muitas vezes nos encontramos cometendo os mesmos erros de antes, caímos em armadilhas criadas por nós mesmos. Nos autossabotamos e por mais que queiramos mudar, nossos pensamentos, crenças e nova forma de ver o mundo não mudaram e isso nos impede de mudar efetivamente.

As maiores dificuldades estão em nós e não nos outros. E isso não é uma coisa que possamos perceber assim tão fácil. É sempre mais fácil culpar aos outros e à vida por nossas desistências e fracassos e pela ausência de oportunidades.

“Se acreditamos que nossa vida é definida por limites estreitos, de repente transformaremos esses limites em realidade. O que acreditamos ser verdade, o que acreditamos ser possível torna-se verdade, torna-se possível”. Anthony Robbins em O Poder sem limites.

Sem nos darmos conta ouvimos aquela voz interior, as nossas verdades. Muitas dessas verdades e crenças que nos limitam são formadas ainda em nossa infância onde muitas vezes escutamos o que é certo e o que é errado e aprendemos com nossos pais a nos comportarmos no mundo. Essas verdades, esses significados que atribuímos a tudo em nossa vida muitas vezes são frutos das crenças que foram formadas com nossa personalidade.
Cada vez que não nos achamos capaz de superar obstáculos (e isso é uma crença limitante), cultivamos um sentimento de covardia interior, que bloqueia as nossas emoções e nos paralisa. Na verdade caímos em armadilhas criadas por nós mesmos e isso ocorre porque, apesar de querermos mudar, o nosso subconsciente não nos permite.

Muitas vezes, o medo da mudança é maior do que a força para mudar. Por isso, enquanto nos iludirmos com soluções irreais e mostrarmos resistência em rever nossos erros e aprender com eles, estaremos bloqueados.

imagem: internet

imagem: internet

Mas afinal porquê as pessoas se autossabotam ?

Algumas pessoas parecem atreladas a um padrão de negativismo. Tem dificuldades em mudar alguns comportamentos, porque essa mudança trará angústia e ansiedade, vai de encontro a algumas de suas crenças, entre elas a crença de que não têm o direito de ser felizes realizando seus próprios desejos.

Crianças que cresceram em lares onde elas foram alvos recorrentes de crítica, chamam a atenção para si através de padrões de vitimização, masoquismo, hipocondria, dependências, fragilidade, etc. Ou tornam-se eles próprios críticos afiados, sempre projetando no outro os defeitos que sua baixa auto-estima não permite que ele enxergue.

Muitas dessas pessoas até sabem o que precisa ser feito para mudar e chegam a planejar e traçar metas e ações necessário, mas na hora de por em prática acabam repetindo os mesmos padrões, afinal de contas “nem vale a pena tentar, pois como não vou conseguir mesmo, assim pelo menos a frustração é menor”. Protegem-se do fracasso garantindo que não terão a vitória.

Às vezes a pessoa repete o comportamento que já conhece para ficar bem, mesmo sendo algo negativo. De forma errada aprendeu que era a atitude certa a ser tomada, e neste caso, a desculpa é a resposta pronta para evitar a mudança.
Quando uma pessoa age como se não fosse merecedora de algo melhor, pode permanecer no mesmo padrão de comportamento durante anos, ainda que custe muito sofrimento e dor.  A maioria das pessoas não percebe o que faz; prefere acreditar que a insatisfação é apenas fruto de algo externo.

imagem: internet

imagem: internet

“Há uma coisa engraçada sobre a vida: se se recusar a aceitar qualquer coisa que não seja a melhor, você muitas vezes a conseguirá. ” – W. Somerset Maugham

Ciclo da autossabotagem

O ciclo da autossabotagem inicia-se desde a nossa infância onde aprendemos a repetir padrões comportamentais e eles se tornam automáticos. Assim não percebemos que estamos agindo de uma determinada maneira e isso explica porquê não nos damos conta de que estamos nos autossabotando.

Destruímos nossa vida e não percebemos a nossa responsabilidade nisso tudo. Repetiremos então o mesmo comportamento mesmo que destrua a nossa felicidade. É como se tivéssemos dado um grande salto para cair no mesmo buraco.

“No Hades, ele [Sísifo] foi condenado, tendo de rolar, por toda a eternidade, uma pedra até o cume de uma montanha, que rolava novamente sobre ele”. Hamilton, E. (1940,1942). Mythology. Timeless tales of gods and heroes. A Mentor Book from New American Library. Nova York & Scarborough, Ontario.

A autossabotagem é uma das principais causas das pessoas passarem por problemas financeiros. Isso acontece porque grande parte das nossas decisões são tomadas em cima da emoção e não da razão, principalmente quando estamos sob pressão.

E como podemos detectar se estamos praticando auto sabotagem ou não?
Ao longo do caminho, fomos formando várias ideias sobre diversas áreas da vida: tempo, relacionamentos, dinheiro, oportunidades, capacidades, sucesso e fracasso.
Você trabalha duro e em determinado momento, seu cérebro entra em conflito e fica confuso sem saber por qual direção seguir. Por exemplo, muitas pessoas desejam ter mais dinheiro em suas vidas, entretanto, quando elas começam a ter algum, mais do que elas precisam, acabam por acreditar que ter dinheiro em excesso é algo negativo. O que acontece depois? Elas encontram uma maneira de acabar com tudo que construíram.

Perceba que este é um exemplo clássico de crenças conflitantes e que pode levar alguém a se autossabotar, antes mesmo de alcançar o seu objetivo.

Mas e como mudar isso ?

Reconhecer um comportamento repetitivo é o primeiro passo para você superar isso. Quando você reconhece que está num ciclo e que isso te faz sofrer você consegue ter forças para rompê-lo.

Cada um traz em si mesmo os meios necessários para o seu próprio melhoramento. Mas o principal é mudar de atitude.

Reflita sobre suas atitudes e sobre as cirscunstâncias repetitivas que te prejudicam. Faça-se perguntas para detectar culpas, medos, raivas ou fatos negativos ocorridos na sua infância que possam explicar essas crenças negativas sobre si mesmo.

Procure identificar crenças limitantes que possam estar te levando a se autossabotar. Crenças limitantes podem ser identificadas ao tentar completar frases como: “Eu não consigo fazer isso porquê …” ou “Não posso ter isso pois …”.

“Se você acha que pode, ou você acha que não pode, você está certo”. Henry Ford

Você deve derrotar essas falsas verdades (crenças limitadoras) para e colocar-se em uma atitude mais positiva em relação a vida.

Para reverter o processo é necessário imaginar o que sentiria ao alcançar o que deseja. Foque-se naquilo que quer alcançar e no que sentiria quando isso se tornar realidade. Depois, na posse desse sentimento, faça coisas que o aproximem dos seus sonhos.

Anthony Robins em seu livro “Poder sem limites” propõe em seu livro : “…comece fazendo uma grande cena brilhante do comportamento que quer mudar. Então, no canto inferior direito dessa imagem, sobreponha outra imagem pequena e escura, do jeito que você quer ser. Agora, pegue essa imagem pequena, e, em menos de um segundo, aumente o tamanho e brilho e literalmente, faça-a irromper através da cena do comportamento que não deseja mais. Enquanto faz esse processo, diga a palavra wóosh com todo entusiasmo e excitação que possa…Uma vez tendo construído mentalmente as imagens, o processo de substituição deve estar completo em menos tempo do que o necessário para dizer wóosh, e você estará então diante de uma imagem grande, bri-
lhante, nítida e colorida de como deseja ser. A velha imagem do que você era ficará em pedaços. A chave para implantar esse padrão reside na velocidade e na repetição freqüentes.”

Anthony dá outras dicas maravilhosas nesse livro, vale a pena a leitura.

Mudar nunca é fácil. A primeira batalha que você tem que ganhar está na sua própria cabeça. O seu cérebro tende a acreditar em tudo o que ouve ou que você verbaliza para si mesmo. Se você pode abolir o diálogo auto crítico da sua mente e substitui-lo por mensagens de incentivo, reconfortantes e que puxem por si, então você estará construindo um caminho para derrotar essas sabotagens e criar uma nova forma de olhar a vida.

“As coisas não mudam; nós mudamos. ” – Henry David Thoreau

Procure fazer afirmações positivas diariamente, várias vezes ao dia. Mas verbalize para si mesmo, ou seja, fale para si mesmo, repita diversas vezes essas afirmações para que seu cerébro possa substituir as crenças negativas por crenças positivas.

Em seu livro “O Poder da Ação”, Paulo Viera dá dicas para colocar estas afirmações em prática (esse não é um publipost), como escrever as suas frases afirmativas diversas vezes e repetir cada frase afirmativa no mínimo 5 vezes por dia, 5 vezes cada frase, em voz alta para si mesmo.

Se não conseguir sozinho busque um profissional que pode trabalhar com você os aspectos cognitivos que influenciam seus comportamentos e ações. Isso pode ser conseguido através de um psicólogo, através de psicoterapia cognitivo-comportamental. A base dessa terapia é que os sentimentos e os comportamentos são determinados pela maneira como estruturamos e interpretamos o mundo, como pensamos de acordo com nossas crenças. Analisando suas crenças podemos modificá-las e afetaremos o emocional. Isso pode nos ajudar a ter mais controle sobre nossos pensamentos, emoções e comportamentos.

Conclusão

Na grande maioria das vezes não conseguimos identificar a autossabotagem sozinhos, ou quando percebemos muitas vezes já sofremos durante anos sem saber que éramos os próprios causadores desse sofrimento. Esse comportamento negativo autossabotador nos impede de viver uma vida mais plena e mata a esperança e a oportunidade para a mudança.

A auto-sabotagem tem jeito mas é necessário que haja uma mudança verdadeira de comportamento. Você deve se perguntar : “Se eu continuar a seguir os mesmos padrões, quais são as chances de vir a alcançar as coisas que quero e tornar-me a pessoa que quero ser?”

“Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”. Albert Eistein.

Comece novamente, reinicie sua vida, sabendo que deve eliminar as crenças que te limitam e te impedem de ter a vida que você sempre quis ter. Acredite que é possível sim, ser feliz, verdadeiramente. Substitua as suas crenças e comece a construir um futuro de sucesso, abandone o seu círculo de hábitos autosabotadores e você verá que sua vida ficará mais enriquecida e você terá novos padrões de ação.

“O homem é o que ele acredita. ” – Anton Tchecóv

Dicas de Leitura

Em O Ciclo da Auto-Sabotagem, de Stanley Rosner e Patricia Hermes, Rosner oferece uma análise esclarecedora sobre a compulsão por repetição – a tendência a reproduzir atitudes destrutivas.

Através de estudos de casos, eles descrevem o comportamento repetitivo decorrente da primeira infância, no casamento, na criação dos filhos, no trabalho e na forma como as pessoas tentam melhorar. Vícios e compulsão também são abordados.

Se você tem o hábito de se autossabotar recomendo fortemente a leitura.

Nos links abaixo você encontra os livros citados no post :